Conheça 5 mitos da introdução alimentar

chá_de_gravidez_introdução_alimentar_mitos

Alguns mitos da introdução alimentar podem fazer mal à saúde do bebê

Em meio a várias dúvidas sobre a introdução alimentar, também surgem os mitos. De tão comuns na cultura popular, algumas mamães começam a acreditar neles. Porém, é necessário ter cuidado, pois alguns podem afetar a saúde do bebê.

Por isso, separamos os cinco mitos mais falados sobre a introdução alimentar e o porquê eles não estão corretos.

O leite  materno está fraco e é preciso começar a introdução alimentar antes dos seis meses

O leite materno nunca será fraco. Ele fornece todas os nutrientes necessários para o bom desenvolvimento do bebê até que este complete seis meses de idade. Contudo, vale lembrar, que a amamentação continua extremamente importante mesmo após a introdução alimentar. A Organização Mundial da Saúde (OMS), por exemplo, recomenda o aleitamento materno até os dois anos ou mais.

Assim, não é necessário iniciar a introdução alimentar antes de o bebê completar seis meses. Isso, na verdade, pode até ser maléfico à saúde do pequeno, pois somente nessa idade ele estará pronto para receber outros tipos de alimentos. Afinal, o sistema digestivo e imunológico de um bebê nos primeiros meses de vida não estão aptos a lidar com novas substâncias ingeridas.

Nos casos em que o bebê não é amamentado pela mãe e tome leite em fórmula, a introdução alimentar também deve ser iniciada aos seis meses. Isso porque esses produtos são criados para oferecer os nutrientes fundamentais para cada idade. No entanto, você pode tirar qualquer dúvida com o seu pediatra.

Introdução alimentar - é mito que o leite materno fica fraco.

O bebê deve comer toda a papinha servida

Primeiramente, o estômago do bebê é pequeno. Além disso, as crianças só comem até estarem saciados.

Dessa forma, nada de forçar que o seu filho coma mais do que ele deseja! Situações como esse podem tornar o momento da refeição estressante e a criança poderá associar a comida com algo ruim.

Outras atitudes também não são adequadas. São elas: oferecer comida como calmante, dar apenas os alimentos preferidos (o bebê precisa conhecer uma boa quantidade de ingredientes para aprender os gostos e texturas), distrair a criança para que ela como mais e fazer chantagens, ou seja, trocar brinquedos por comida, por exemplo.

Suco de frutas é uma opção saudável para a introdução alimentar

As frutas devem estar no cardápio da introdução alimentar dos bebês. Todavia, o mais adequado é oferecer a fruta em pedaços ou em papinha. O suco não é recomendado porque possui uma quantidade menor de fibras.

Ademais, o açúcar do suco é absorvido mais rápido pelo organismo da criança. Dessa maneira, quando pâncreas do pequeno não consegue “combater” rápido o suficiente essa quantidade de doce, cria-se um fator para a diabetes.

Bebê gordinho é bebê saudável

Bebês que são gordinhos podem ser saudáveis, assim como os bebês magrinhos. Além do peso, diversos outros fatores determinam a saúde da criança.

No entanto, essa crença de que o bebê deve ser muito gordinho para ser saudável pode levar a erros na introdução alimentar. Para começar, pode acarretar o problema já dito anteriormente: iniciar a introdução de alimentos sólidos antes dos seis meses.

Outra atitude que pode ser gerada é a adição de açúcar nas mamadeiras ou papinhas, que não é nada benéfico para a saúde.

Não pode brincar com a comida

Sim, os bebês podem brincar com a comida. É dessa forma que eles irão entender as cores, texturas, formas e gostos dos alimentos.

Mesmo que você não seja adepta ao método BLW, deixe que o seu bebê toque na papinha. Será uma bagunça, mas vai ser bom para o desenvolvimento dele.

Gostou do nosso conteúdo? Comente aqui. Também mostre nossa matéria para as outras mamães que também estão prestes a enfrentar a fase da introdução alimentar.

0 Gostei
0 Não gostei

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *