Amamentação: conheça as principais dicas

Portrait of a young attractive woman breastfeeding a child, holding on her knees. New born, bonding concept photo, view over the doorway, lifestyle

De extrema importância para o desenvolvimento do bebê, a amamentação precisa de alguns cuidados para ser bem-sucedida

A amamentação é de grande importância para a saúde física e emocional dos bebês. Por meio desse ato, os pequenos recebem nutrientes que auxiliam no desenvolvimento e na imunidade, além da criação de um vínculo entre a mãe e seu filho.

Porém, amamentar ainda é algo muito romantizado, ou seja, é retratado como uma ação simples e instantânea. Contudo, nem sempre é assim. Algumas mamães têm dificuldades. Os problemas mais comuns são na produção de leite e na “pega” incorreta da boca do bebê no seio. Este último, por exemplo, pode ferir a mama e ocasionar dor.

Para tentar amenizar as dúvidas e dificuldades nessa fase tão importante, separamos algumas dicas que irão deixar a amamentação mais tranquila.

A pega correta na amamentação

Esse é o principal fator que garante o sucesso da amamentação. Como já dito anteriormente, quando a posição da boquinha do bebê no seio está incorreta, a pele da mãe fica ferida. Esses machucados também significam que o bebê pode não mamar do jeito certo. Nesses casos, ele posiciona a língua no mamilo e o achata contra a boca, o que pode dificultar a saída do leite. O pouco ganho de peso do pequeno é algo que indica isso.

Assim, a forma correta da pega é quando o bebê abocanha o máximo da aréola que ele conseguir e não só o bico. Além disso, a criança deve estar com o corpo voltado ao da mãe, cabeça mais elevada e barriga com barriga.

Contudo, se acontecer a pega incorreta, algumas medidas podem aliviar a dor dos ferimentos da mãe. A mais comum é passar o próprio leite materno nos mamilos para a cicatrização. O chá de camomila também é usado para aliviar o desconforto no local. Entretanto, também há pomadas específicas no mercado, mas é importante perguntar ao médico qual é a mais adequada.

Amamente em um ambiente calmo

Além de nutrir, a amamentação também é um momento de vínculo entre a mãe e bebê. Por isso, um ambiente tranquilo é essencial para que esse ato seja bem sucedido. Afinal, já foi comprovado que, quando a mãe amamenta com pressa ou estressada, há a maior dificuldade para a produção do leite e o bebê também se estressa.

Não deixar o bebê muitas horas sem mamar

Algumas mamães praticam a “livre demanda”, ou seja, amamentam sempre que o bebê deseja. Entretanto, mesmo quando a amamentação é feita em intervalos de horas, não é interessante deixar que o bebê fique muito tempo sem mamar.

O motivo disso é que a criança pode ficar mais irritada ao sentir fome e, assim, não fazer a pega correta ao seio.

Amamentação - não é recomendado deixar o bebê muitas horas sem mamar

Mantenha-se hidratada

Amamentar provoca muita sede nas mamães porque o corpo precisa repor os líquidos perdidos na “fabricação” do leite. Dessa forma, é essencial ter sempre uma garrafinha de água ao lado enquanto amamenta.

Mantenha os seios limpos e não use sutiãs apertados

No mercado, há vários produtos para auxiliar a amamentação, como conchas e absorventes que evitam que o leite manche a roupa. Porém, é preciso ter cuidado ao utilizá-los. Quando os mamilos e a pele ficam abafadas, é perigoso ocorrer candidíase nos seios, uma infecção por fungo que ocorre em ambientes úmidos.

O sutiã também não pode ser muito apertado. Dessa maneira, os especializados em amamentação são os melhores, pois as costuras também não irão machucar os seios.

Retire o leite em excesso

Algumas mamães produzem mais leite do que os seus bebês precisam. Então, é preciso retirar esse excesso. Caso contrário, pode-se ocorrer a mastite (popularmente chamada de “leite empedrado”), em que os ductos de leite ficam inflamados.

Assim, é possível retirar o leite de forma manual ou por meio de bombinhas de ordenha elétricas.

Em seguida, o leite pode ter dois destinos: é possível congelar e oferecer ao bebê quando a mãe não está em casa (método muito utilizado quando a mulher volta a trabalhar) ou doar ao banco de leite da cidade e ajudar outros bebês que não podem ser alimentados por suas mães.  

No entanto, caso o leite retirado for oferecido ao bebê, é importante não usar os chamados “bicos substitutos”, como a mamadeira. Isso pode confundir o bebê em relação ao bico do seio da mãe e atrapalhar a amamentação. Portanto, o ideal é fazê-lo mamar em copinhos.

Mamilos invertidos não impedem a amamentação

Algumas mulheres possuem mamilos planos ou invertidos. Contudo, isso não impede a amamentação. Com a pega correta do bebê, a projeção do mamilo acontecerá e o leite irá sair.

Todavia, algumas mulheres também optam por utilizar conchas preparatórias apropriadas para esses casos durante a gestação.

Descanse

A rotina de amamentação e a produção do leite requer esforço do organismo da mãe. Em função disso, a dica de descansar é de grande importância para que amamentar seja algo tranquilo e agradável.

Descansar é uma dica de amamentação

Mesmo com a introdução alimentar, a amamentação deve continuar

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que o leite materno seja o alimento exclusivo do bebê até este completar seis meses. Após isso, inicia-se a introdução de outros alimentos. Contudo, a amamentação deve continuar até, pelo menos, a criança completar dois anos de idade.

Principalmente nos primeiros meses da introdução alimentar, o leite continuará sendo a maior fonte de nutrientes do bebê. Isso mudará aos poucos com a inserção de novos alimentos na rotina do pequeno.

Comente o que achou dessas dicas aqui embaixo. Também nos siga nas redes sociais e fique por dentro de tudo do mundo da maternidade.

0 Gostei
0 Não gostei

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *