Veja o que é baby blues e a diferença da depressão pós-parto

chá_de_gravidez_baby_blues

Tristeza, ansiedade e angústia estão entre os sintomas do baby blues

Todos esperam que a chegada do bebê seja um momento de extrema realização para a nova mãe. Porém, estudos indicam que cerca de 80% das mulheres (mamães de primeira viagem ou não) sentem tristeza, medo, ansiedade e angústia após o nascimento do filho. Isso é o chamado “baby blues” que, ao ser traduzido, pode ser nomeado como “tristeza do bebê”.

Contudo, essa condição é normal. Ela é causada pela queda drástica dos hormônios que estavam presentes na gravidez (estrogênio e progesterona) e também por todas as mudanças que acontecem na vida da mãe quando o filho nasce. 

Então, nas primeiras duas semanas do pós-parto, a mulher pode ter irritabilidade, crises de choro, desânimo, insegurança, perda de apetite, insônia, preocupação excessiva com o bem-estar do filho e fazer comentários depreciativos consigo mesma. 

Como amenizar o baby blues - trocar experiências
Conversar com outras mulheres que já foram mães ajuda a lidar com os medos e preocupações do pós-parto

Como amenizar o baby blues

Não há como evitar o baby blues, mas é possível amenizá-lo. Para isso, o mais importante é compreensão: o parceiro, familiares e amigos devem entender o momento que a mulher passa e oferecer apoio a ela. Isto é, nada de julgamentos, opiniões fora de hora ou tratar o assunto como “frescura”.

Além disso, auxiliar com as tarefas de casa tornará os primeiros dias com o bebê menos caóticos. Assim, é importante a ajuda para lavar as louças, as roupas ou preparar uma refeição e deixar porções extras congeladas para os próximos dias. Enquanto isso, a mamãe tem mais tempo de curtir e criar vínculos com o filho. 

Por fim, trocar experiências e tirar dúvidas com as outras mulheres da família que já foram mães também são dicas relevantes para diminuir os medos presentes no pós-parto. 

A diferença da depressão pós-parto

Primeiro, é necessário explicar que baby blues não é princípio de depressão pós-parto. Como dito anteriormente, essa condição é normal e passageira.

Entretanto, o primeiro indício de que o caso não é baby blues e, sim, depressão pós-parto é a duração. No último caso, os sintomas duram por muito mais tempo do que as duas ou três semanas do baby blues.

As mudanças de humor e a tristeza são mais fortes na depressão pós-parto. Além disso, a mulher costuma ainda expressar mais os sentimentos negativos que tem com si mesma e, nos casos graves, até pensa em suicídio.

Fatores de antes do nascimento do bebê podem resultar na doença. Mulheres que passaram por momentos estressantes na gravidez, já tiveram depressão ou possuem histórico na família têm mais chances de desenvolvê-la.

Contudo, seja baby blues ou depressão pós-parto, é importante relatar todos os sintomas físicos e psicológicos sentidos no pós-parto para o médico. Ele saberá avaliar a situação, diagnosticar e orientar sobre o melhor tratamento.

Agora, nos diga como está sendo ou foi o seu pós-parto. O baby blues esteve presente? Também deixe nos comentário a sua opinião sobre o nosso conteúdo. 

1 Gostei
0 Não gostei

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *