Infecção urinária na gravidez - Quais sintomas e como tratar?

Faça consultas regulares ao médico para diagnosticar possíveis problemas na gravidez

Médica com estetoscópio avaliando a barriga da mamãe
Freepik

A Infecção Urinária ou Infecção do Trato Urinário é um quadro que pode se manifestar em qualquer órgão do sistema urinário. Um de seus principais sintomas são as dores ao urinar. E com a infecção urinária na gravidez, isso não é diferente.

Porque a gravidez facilita o surgimento de infecções urinárias?

Durante a gestação, certas mudanças no corpo da mulher facilitam que a doença se manifeste porque elas propiciam o desenvolvimento de bactérias no sistema urinário. Logo, pelo menos uma vez, a mamãe terá episódios de infecção.

A medida que a gravidez evolui, o útero se expande e comprime a bexiga, provocando uma maior contração do órgão. Além disso, durante a gestação, a mamãe passa a liberar mais glicose pela urina.

Outro motivo, é que outros germes / bactérias vindo de outros órgãos podem parar no rim. Porque, durante a gestação há o aumento da circulação sanguínea.

Apesar de assustar muitas mamães, se tratada adequadamente, a infecção urinária não causa mal nem ao bebê, nem a mamãe.

Sintomas de infecção urinária na gravidez

Esse quadro infeccioso pode apresentar desde nenhum sintoma até mesmo febre e mal-estares. Outros indícios são dor ao urinar, vontade de ir ao banheiro frequentemente e fazer xixi em pouca quantidade.

Uma sensação incômoda de não conseguir esvaziar a bexiga e de desconforto na região. Além disso, a urina com presença de sangue e febre baixa podem indicar uma possível infecção urinária na gravidez.

Ao observar um odor desagradável na calcinha e dores no baixo ventre, como se fossem contrações, procure o médico e informe os sintomas que sentiu.

Como diagnosticar a infecção urinária na gravidez?

O exame de urina é o mais indicado para diagnosticar a infecção urinária na gravidez
O exame de urina é o mais indicado para diagnosticar a infecção

Um simples exame de urina pode identificar a infecção urinária. Para tanto, a mamãe deve procurar o médico e informar o que está sentindo.

Caso haja algum quadro infeccioso, o tratamento começa a ser realizado o quanto antes para garantir que a gravidez prossiga saudável. Mas, há ainda outro método de diagnosticar o quadro, o teste caseiro de infecção urinária que é comprada nas farmácias e feito em casa.

Teste caseiro de infecção urinária

Este teste consiste em uma tirinha que é molhada em uma pequena quantidade de urina colhida em um recipiente limpo.

Para verificar se está ou não com a infecção, a mulher deve verificar as alterações de cores da tirinha e ler com bastante atenção as instruções da embalagem, para interpretar o resultado.

Se o resultado for positivo, o ideal é procurar o médico para confirmar o diagnóstico após olhar o exame de urina laboratorial.

Prevenção

Os principais meios de prevenção da infecção urinária envolvem a higiene e cuidado com o corpo. Algumas precauções básicas como se lavar ao evacuar; não segurar por muito tempo o xixi e esvaziar completamente a bexiga previnem que a infecção se manifeste.

Outro meio de prevenção é dar preferência às calcinhas de algodão e evitar abafar a região genital com roupas apertadas, calcinhas de lycra, calças, shorts e outros tecidos que aqueçam a região. Sempre que possível, é bom dormir sem calcinha para ventilar sobre a região.

Tratamento

O tratamento deste quadro infeccioso é feito por meio de antibióticos, como por exemplo a Cefalexina. Os medicamentos devem ser receitados pelo médico, pois existem alguns que podem prejudicar o bebê.

Outros cuidados como beber cerca de 2 litros de água por dia, lavar as mãos quando for ao banheiro e fazer xixi após as relações sexuais ajudam a se curar mais rápido da infecção.

Mulher grávida feliz parada em um parque se hidratando e com a outra mão na barriga
Beber 2 litros de líquidos naturais por dia contribuem com a recuperação
Foto: Freepik

E se a infecção urinária não for tratada?

Se não for tratada, a infecção pode acarretar sérios problemas tanto para mãe como para o bebê, tais como parto prematuro; aborto espontâneo, quando a gravidez é interrompida antes de completar 20 semanas; o bebê nascer com pouco peso e desenvolver asma durante sua infância.

Outras complicações também podem surgir se a infecção não for tratada. Portanto, o pré-natal é tão importante para descobrir males que podem prejudicar mamãe e bebê. Ah, e qualquer sintoma estranho que sentir, informe seu médico.

Gostou do nosso conteúdo e que colaborar com a gente? Então, deixe seu comentário abaixo. Ah, e não esqueça de compartilhar o nosso conteúdo com outras mamães e futuras mamães que conhece!

4 Gostei
0 Não gostei

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *