Entenda o que é o descolamento de placenta

chá_de_gravidez_descolamento_de_placenta

O descolamento de placenta possui diferentes níveis de gravidade, mas todos precisam de tratamento

A placenta é um órgão formado durante a gestação e é essencial para o bom desenvolvimento do bebê. Afinal, é ela a responsável por enviar os nutrientes e oxigênio para o bebê. Porém, um dos problemas mais comuns que a afeta é o chamado descolamento de placenta. 

Isso acontece quando esse órgão, que une mãe e bebê, se solta da parede uterina. Com isso, a criança tem sua nutrição prejudicada e há maior risco de parto prematuro. Contudo, existem dois tipos de descolamento e diferentes graus de gravidade entre eles.

Tipos de descolamento de placenta

O primeiro é o que acontece no início da gravidez. Esse também pode ser chamado de “descolamento ovular”. Trata-se do acúmulo de sangue entre o útero e o saco gestacional, o que forma um hematoma e a desafixação. 

Essa situação causa sangramento e uma cólica leve. O tratamento é repouso e, em alguns casos, hormônios para evitar as contrações uterinas. Porém, depois de um tempo, a gestação costuma voltar ao normal e não há prejuízos para a mulher ou para o feto.

Já o segundo tipo de descolamento de placenta é mais grave. Ele ocorre no final da gestação e pode causar parto prematuro, óbito do bebê e perda do útero. Nesse caso, o principal sinal é a dor forte causada. O tratamento também é repouso absoluto, em casa ou no hospital. Entretanto, em algumas situações, é necessário realizar um parto de emergência. 

Em alguns casos de descolamento de placenta, o repouso deve ser feito no hospital

As causas

Não há uma única causa comprovada do descolamento de placenta. Todavia, os fatores que mais podem gerar esse problema são: hipertensão, excesso de líquido amniótico, gravidez em idade avançada, uso de drogas e acidentes que geraram impacto no útero.

Mulheres que já passaram por essa complicação em gestações anteriores também têm mais riscos de sofrer novamente com isso. 

A função da placenta

Com dito anteriormente, o trabalho da placenta é fundamental na gravidez. Além de repassar os nutrientes e o oxigênio, ela também produz alguns hormônios.

Entre eles estão a gonadotrofina coriônica, que mantém a gravidez ao inibir a ovulação; o lactogênio, que estimula a produção de leite materno; e a progesterona, que auxilia em diversas funções no organismo materno durante o decorrer da gravidez. 

Por fim, é importante relatar todo sintoma que aparece na gravidez ao médico. Ele saberá quando a situação apresenta risco ou não.

Agora, nos diga se restou alguma outra dúvida sobre esse assunto. Também deixe aqui nos comentários a sua opinião sobre o nosso conteúdo. 

0 Gostei
0 Não gostei

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *