Saiba quando o sangramento na gravidez é normal ou não

chá_de_gravidez_sangramento_na_gravidez

O sangramento na gravidez pode ter diversas causas, conheça cada uma delas

Qualquer tipo de sangramento na gravidez é motivo de preocupações nas futuras mamães. Afinal, pode indicar problemas graves e até aborto. Contudo, alguns deles são normais e até espera-se que eles aconteçam. 

Por isso, é importante conhecer cada tipo de sangramento para entender quando procurar ajuda médica imediata. Então, entenda quais podem ocorrer em cada fase da gravidez e o que cada um significa.

O primeiro sangramento na gravidez 

Logo após a fecundação ou em até três dias dela, acontece o sangramento de nidação. Trata-se da implantação o óvulo fecundado (chamado de zigoto) na parede uterina. Isso causa uma leve descamação e, consequentemente, a saída de sangue.

Contudo, a quantidade é bem pouca. Algumas mulheres não têm, outras nem percebem e muitas até confundem com o início da menstruação. 

Porém, esse sangramento é normal e é considerado o primeiro sintoma de gravidez

Até o terceiro mês

O primeiro trimestre de gravidez é o mais perigoso. É nele que se formam órgãos importantes no bebê e, se há alguma malformação, o organismo materno tende a abortá-lo. Por isso, depois da nidação, outros sangramentos nessa fase são considerados perigosos. 

Um deles indica descolamento do saco gestacional, que é quando a placenta se desprende do útero. Geralmente, nesse caso, o sangue é escuro, não está associado a cólicas e dura vários dias. É possível reverter esse processo com muito repouso.

Outra situação ainda mais grave é o aborto espontâneo. Ele causa sangramento intenso, com presença de coágulos e cólicas.

Sangramentos na gravidez pela posição incorreta da placenta
A posição incorreta da placenta pode causar sangramentos

A partir do quarto mês

O sangramento mais comum no segundo trimestre de gravidez acontece pela condição chamada placenta prévia. Isso significa que a placenta se fixou próximo do colo do útero e não na parte média do órgão. 

Com isso, há sangramento abundante e com cólicas. O acompanhamento médico também é essencial. 

No terceiro trimestre

No terceiro trimestre, um dos problemas que podem gerar sangramento na gravidez é o descolamento prematuro de placenta. Assim, como o descolamento do saco gestacional, também trata-se da soltura da placenta da parede uterina.

Essa situação causa contrações e sangramento intenso. Então, o atendimento médico deve ser imediato.

Por fim, outro sangramento que pode acontecer é no parto, quando há um agravamento e rupturas no útero. Porém, nesses casos, a gestante já costuma estar no hospital. 

Quando procurar o médico

Apenas no caso do sangramento de nidação não é necessário procurar ajuda médica. Em todos os outros, mesmo que não ocorra algo grave, é importante ter o diagnóstico do especialista. 

Então, vá ao hospital logo que notar a perda de sangue.

Agora, nos diga se ficou alguma outra dúvida sobre o assunto. Também deixe aqui nos comentários a sua opinião sobre nosso conteúdo.

5 Gostei
0 Não gostei

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *