Conheça os riscos do sarampo na gravidez

Pregnant woman using stethoscope examining on her baby in her belly

O sarampo é ainda mais grave na gravidez, pois pode causar desde parto prematuro até aborto

O sarampo é uma doença viral que acomete, principalmente, crianças. No entanto, os adultos também podem sofrer com ela e as grávidas devem ter ainda mais atenção. Afinal, as futuras mamães possuem uma imunidade mais baixa e, assim, estão mais suscetíveis às complicações do sarampo.

O Brasil não registrava casos da doença há mais de dez anos. Porém, fluxos migratórios de pessoas originárias de países em que a cobertura vacinal não é tão forte fez com que o sarampo voltasse. Em algumas cidades já considera-se que há um “surto” pela alta quantidade de doentes. Você pode conferir quais são elas no site do Ministério da Saúde: https://bit.ly/2M2DAP5

Portanto, é importante entender os sintomas do sarampo para que o tratamento se inicie o quanto antes. Mais do que isso, também saber como se proteger contra ele. 

Sintomas

Os primeiros sintomas do sarampo podem ser confundidos com uma simples gripe, pois há a febre alta (acima de 38ºC), tosse e mal-estar geral. Além disso, também aparecem a conjuntivite e as dores de garganta.

Contudo, o sinal característico da doença são as manchas avermelhadas. Elas surgem primeiro no rosto e “descem” para o restante do corpo. Podem aparecer ainda dentro da boca. Vale lembrar que elas não coçam. 

Sintomas do sarampo
Os primeiros sintomas de sarampo podem ser confundidos com gripe

Como ocorre a contaminação

O sarampo é altamente contagioso e a contaminação se dá pelo contato com outras pessoas doentes. Por meio de gotículas de saliva (liberadas na tosse e no espirro, por exemplo), o vírus se espalha pelo ar e pode permanecer vivo em superfícies por até duas horas. 

A pessoa contaminada transmite a doença sem nem mesmo sentir os sintomas: quatro dias antes de surgirem as primeiras manchas. 

Os riscos do sarampo na gravidez

Como dito anteriormente, o sistema imunológico das grávidas é mais frágil. Por isso, elas têm maiores riscos de sofrer com os problemas decorrentes do sarampo. Assim, otites (infecções nos ouvidos), pneumonia e encefalite (infecção no cérebro) são os agravamentos mais comuns da doença. 

Já quanto à gravidez, também há maiores chances de parto prematuro e aborto espontâneo. 

Como prevenir

O modo mais seguro de prevenir o sarampo é com a vacinação. Contudo, a má notícia é que as gestantes não podem se vacinar. Dessa forma, é recomendado que todas as mulheres (tentantes ou não) se imunizem antes de engravidar. 

Por isso, confira o seu cartão de vacinação. Lá deve constar a vacina tríplice viral, que é a que protege contra o sarampo. 

Entretanto, também é possível se prevenir apenas ao evitar o contato com doentes, principalmente pessoas que chegaram de países e cidades com surtos. 

Ademais, lave regularmente as mãos com álcool em gel 70% e evite coçar os olhos e nariz depois de pegar em superfícies sujas. 

Tratamento

O principal sobre o tratamento de sarampo na gravidez é entender que todos os medicamentos devem ser tomados apenas com prescrição médica. Isso porque as substâncias que a mãe ingere são repassadas para o bebê por meio da placenta e algumas podem não ser seguras para o feto. 

Assim, o que costuma ser mais recomendado é o uso de paracetamol para baixar a febre. Além disso, compressas de água fria na testa também ajudam. Em alguns casos, há a necessidade de aplicação de soro com anticorpos específicos que agem contra o sarampo com o objetivo de diminuir os riscos para a mãe e bebê. 

Ficou mais alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários. Também nos conte a sua opinião sobre o nosso conteúdo. 

0 Gostei
0 Não gostei

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *